quinta-feira, 19 de abril de 2018

Carga avaliada em R$ 3,4 milhões é roubada no Galeão

Fonte: G1

Celulares que ainda não haviam sido lançados no Brasil foram levados; Criminosos utilizaram uniforme de transportadora

A polícia investiga um roubo milionário que aconteceu no aeroporto do Galeão, no último domingo (15), no terminal de cargas de uma companhia aérea. Um carregamento de aparelhos celulares da transnacional Samsung foi o alvo.

Custando cerca de R$ 3,8 mil cada, os produtos, que ainda nem chegaram às lojas do Brasil, estavam sendo aguardados por comerciantes de vários shoppings. A carga, avaliada em US$ 1 milhão, cerca de R$ 3,4 milhões, não possuía seguro, devido ao fato de as seguradoras preferirem não trabalhar com esse tipo de conteúdo, uma vez que são constantemente alvos de roubo.

Os criminosos envolvidos no assalto utilizaram uniformes de uma transportadora e um caminhão, ficando cerca de uma hora no local. Através de rastreamento, foi constatado que o veículo se encontrava na comunidade Nova Holanda, no Complexo da Maré. A polícia foi solicitada para recuperar a carga, mas afirmou não possuir recursos humanos e equipamentos para a ação.

O dono da mercadoria, além de utilizar transporte aéreo, por achar que fosse mais seguro, contratou um caminhão blindado para transportá-la em terra.

Em nota, a Gol Linhas Aéreas confirmou que "sua unidade de cargas do terminal do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro – Galeão, sofreu assalto na noite de domingo, 15 de abril. A companhia ressalta que está colaborando com as investigações junto aos órgãos responsáveis.

Na semana anterior, um carregamento avaliado em R$ 5 milhões de reais da americana Apple também foi roubada no mesmo aeroporto. Criminosos utilizaram armas durante a ação. A mercadoria também foi localizada na comunidade da Nova Holanda.

A transportadora que foi vítima dos crimes afirmou que não realizará mais transportes para o RJ, uma vez que, em menos de um ano, foi alvo de quatro roubos e acumulou um prejuízo de R$ 10 milhões.

0 comentários:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentario