segunda-feira, 7 de maio de 2018

Vendas de veículos têm melhor abril desde 2015

Fonte: Valor Econômico

SÃO PAULO - (Atualizada às 13h09) A indústria automobilística registrou em abril o melhor mês em vendas desde dezembro de 2015. Além disso, foi também o melhor abril desde 2015 no mercado interno. Foram licenciados em todo o país 217,3 mil veículos, uma alta de 38,5% em relação ao mesmo mês de 2017.

Segundo números que estão sendo divulgados nesta segunda-feira pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), as vendas acumuladas do ano - 762,8 mil unidades - representaram um avanço de 21,3% na comparação com o primeiro quadrimestre do ano passado.

O presidente da Anfavea, Antonio Megale, disse, no entanto, que, apesar da recuperação contínua, as vendas de veículos ainda não atingiram o ritmo médio dos últimos dez anos. A média acumulada nos primeiros quadrimestres da última década foi de 951 mil veículos.

Abril representou ainda para a indústria automobilística o segundo melhor mês da história em exportações de veículos, sendo ultrapassado apenas pelo mês anterior. Foram embarcados 73,1 mil veículos, o que representou uma alta de 19,5% em relação a abril do ano passado.

As vendas externas representaram uma receita de US$ 1,4 bilhão, um avanço de 36,8% na comparação com abril de 2017. No acumulado do ano, as exportações de veículos somaram US$ 4,6 bilhões, o que representa crescimento de 20,9% em comparação com o primeiro quadrimestre de 2017. A exportação acumulada no ano atinge 253,3 mil veículos, alta de 7,50% em relação ao mesmo quadrimestre do ano passado.

A entidade apontou ainda que a produção de veículos no Brasil cresceu 40,4% no quarto mês deste ano, num total de 266,1 mil unidades. Megale, lembrou que foi o 18º mês consecutivo de crescimento.

No acumulado do quadrimestre, a produção total de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus somou 965,8 mil unidades, um crescimento de 20,7% perante os primeiros quatro meses de 2017.

Com crescimento da demanda interna, o estoque, de 230 mil veículos, tem se mantido estável. O volume equivale a 32 dias de vendas no mercado interno, o que está em linha com o que as montadoras consideram ideal.

Ao ser questionado sobre o novo programa automotivo, o Rota 2030, cujo anúncio vem sendo protelado pelo governo federal, Megale disse, em tom de brincadeira, que não iria mais falar em datas. "Errei todas as que já dei."

Emprego

O nível de emprego na indústria automobilística continua em elevação, mas em ritmo muito mais lento do que o da produção. O número de empregados nas fábricas de veículos totaliza hoje 112,8 mil pessoas, o que representa aumento de 4,3% em comparação com o quadro efetivo de um ano atrás. “Estamos em ritmo de conta-gotas”, disse Megale.

Apesar da retomada, parte do efetivo continua afastado ou em programa de jornada reduzida. Um total de 1,6 mil trabalhadores estão em dois programas - o de “lay-off” (suspensão temporária de contrato) e o seguro-emprego, que permite redução da jornada.

0 comentários:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentario