quinta-feira, 22 de março de 2018

Sem dor de cabeça

Fonte: O Dia

Especialista dá dicas para evitar problemas com as seguradoras na hora de comprar e acionar seguro. Erros no formulário estão entre principais equívocos

Na hora da batida, por mais simples que ela seja, ou após uma situação de roubo, estar com seu carro segurado é sempre um alívio. Mas nem sempre ter seguro garante que você não terá problemas. Em alguns casos, a dor de cabeça pode acontecer mesmo quando o proprietário possui a apólice. Por isso, o DIA conversou com a coordenadora de marketing da Bidu Seguros, Marcella Ewerton. A especialista deu quatro dicas para que o consumidor evite problemas com as seguradoras no momento de proteger o veículo.

Para começar, o motorista deve ficar atento às dicas sobre o preenchimento do formulário. Apesar de o documento ser muito extenso e cansativo, é importante responder às perguntas com atenção e com a maior honestidade possível. As respostas afetarão no valor do seguro.

Segundo Marcella, um campo não preenchido pode gerar variação considerável no preço. Não é bom subestimar informações. "Mesmo após preencher, o cliente ainda tem uma segunda chance de confirmar seus dados. Nesse momento, é importante que ele se certifique de que não há nenhuma falha", explica Marcella Ewerton.

Sinistros

Também é importante que o dono do automóvel faça um paralelo entre o custo do reparo e o valor da franquia, antes de encaminhar a solicitação para a seguradora. "Em alguns casos, pode acontecer de o cliente sofrer um acidente cujo reparo simples saia cerca de quatro vezes mais barato do que a franquia", diz a especialista. Segundo Marcella, além de pagar mais acionando a seguradora, o proprietário também perde a premiação anual que é oferecida a clientes que não utilizam o seguro em até um ano.

Vale ficar atento ainda à orientação de informar à seguradora, imediatamente, sobre qualquer mudança que possa afetar o valor do seguro. Uma das alterações que pode gerar redução, por exemplo, diz respeito a vagas na garagem. Outra mudança é se o proprietário que utilizava o veículo apenas para lazer, passar a utilizá-lo para trabalho. A nova condição aumenta as chances de acidentes e, por consequência, de sinistros.

Seguro popular

Como preço é sempre importante, alguns proprietários podem se interessar pelos seguros populares. Nessa modalidade, as apólices são mais baratas do que as tradicionais, por permitirem consertos com peças extraídas de veículos de desmanches. Ou seja: não originais. Ainda segundo a especialista, o proprietário só deve aceitar o reparo se todas as peças tiverem notas que certifiquem a procedência.

0 comentários:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentario