sexta-feira, 12 de julho de 2019

Patinetes elétricos despertam a atenção do setor de seguros

Fonte: O Dia


Projeto de lei, que será analisada pelo governador Wilson Witzel, aponta que empresas responsáveis pelo equipamento devem fornecer apólice obrigatória aos usuários

Rio - Febre no Rio, os patinetes elétricos passaram a fazer parte do cotidiano dos moradores e já despertam a atenção do setor. Um projeto de lei aponta que as empresas responsáveis pelo equipamento devem fornecer seguro obrigatório aos usuários, cobrindo morte por acidente, danos contra terceiros, invalidez parcial ou total, permanente ou temporária. Em caso de descumprimento da regulamentação, a multa prevista fica em torno de R$ 170. A proposição segue agora para análise do governador Wilson Witzel.

O assunto começou a ser discutido na Comissão de Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que quer a regulamentação o mais rápido possível. Em audiência pública no mês passado, a deputada Rosane Felix (PSD), que preside o grupo, defendeu a urgência da medida para evitar acidentes e consequências mais graves para as vítimas. O projeto também obriga o uso do capacete.

A Grow, fusão da Grin com a Yellow, é a favor da regulamentação. A companhia aluga patinetes em várias cidades do país, incluindo o Rio. A empresa tem tomado medidas para orientar os usuários sobre o funcionamento e evitar acidentes. Elior Faria, coordenador de Planejamento da Secretaria Municipal de Transportes, já disse que a prefeitura também quer soluções para o uso do equipamento.

Ações de empresas

A HDI Seguros fez parceria com a Grin, startup latino-americana que aluga patinetes. A empresa, que começou a operar no país em agosto do ano passado, disponibiliza o equipamento em pontos estratégicos do Rio, São Paulo e Florianópolis (SC), cobrando R$ 3 para os três primeiros minutos de uso e R$ 0,50 para os minutos seguintes. A parceria assegura aos usuários da Grin indenização em caso de ocorrência de sinistro com o patinete durante o uso. A cobertura abrange acidentes que causem lesões físicas e despesas médicas. "A mobilidade tem se tornado o principal anseio da sociedade em que vivemos. Queremos, cada vez mais, oferecer às pessoas proteção durante seus trajetos", afirma Murilo Riedel, CEO da HDI Seguros no Brasil.

No fim de junho, a Generali Brasil Seguros lançou seguro para bicicletas e patinetes. São cinco modalidades de apólices: roubo, furto qualificado, transporte, perda total e acidentes pessoais. O produto, lançado inicialmente na Itália, chega ao Brasil em um momento de discussão de segurança e mobilidade. A apólice pode ser adquirida a partir de R$ 0,48 por dia ou R$ 14,46 por mês para equipamentos de até R$ 3 mil. O Seguro Mobilidade também oferecerá o produto a patinetes que custem mais de R$ 50 mil. "Esse novo produto abrirá as portas de nossa filial no Brasil para novas parcerias com grandes empresas que se dedicam à mobilidade urbana e pensam em melhorar a qualidade e o transporte dos usuários", afirma Claudia Papa, vice-presidente da Generali no Brasil.



0 comentários:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentario